Seguidores e seguidoras

domingo, 20 de septiembre de 2015

Uzes no Forgoselo

   Esta fim de semana deixóu um tempo soleado que já se botava a faltar. Sem embargo nom foi excessivamente produtivo em quanto a observaçoes naturalistas para mim.
  Onte adicava a jornada às libélulas (no próximo post) e esta manhá achegava-me até a Serra do Forgoselo, que amencia com néboas na sua vertente Norte, aínda que foi abrindo aginha.

 Branhas do Forgoselo

     No nosso idioma aplicamos palavras coma "branha" ou "gándara" (moi presentes ambas na nossa toponímia) para denominar todo tipo de formaçons de matogueira aberta. Porém este tipo de branhas hiper-húmidas de augas ácidas que tanto abondan nestes montes son denominadas turberas en espanhol e turfeiras em português, o nosso idioma irmao.

  Nas partes mais altas e secas, aparecem toxeiras baixas e pradarias de pasto.



   Numerosas charcas estacionais ou permanentes aparescem aqui e acolá.

 Paisagens do Forgoselo

 Turfeiras, eólicos e vacas, tres elementos típicos destas serras do Norte galego


   As Uzes (Fam. Ericaceae), ou Queirogas como tamém se denominam, som umha família botánica das que se aprendem de pequeno. Pola sua espectacularidade, facilidade de identificaçom (comparado com outros taxons) ou pola importáncia que possúem à hora de conformar determinados hábitats.

  Sei moi pouco de Botánica: apenas algumhas famílias ou géneros, e logo as especies típicas de árbores ou xuncos, pero com as uzes é doado chegar a identificar até o nível de espécie (no Forgoselo achei polo menos cinco tipos diferentes). Hoje adiquei-me a fotografar queirogas:

 Calluna vulgaris

   Entre a guia de Xosé Ramón García e as explicaçons dos colegas do grupo "Prantas de Galicia" creo que ésta é a Erica tetralix, diferenciável da E. mackaiana pola forma das follas e aspecto do envés. Ambas as duas som as queirogas das turfeiras por excelência.

Erica tetralix

    Nas matogueiras secas com toxeiras abonda Erica cinerea, que conheço bem da minha infáncia no val de Narom, onde passava horas e horas à procura de hérpetos nos seus ucedais.

    Hoje tivem ocassom de practicar também o uso do flash que incorpora a cámara (Fuji HS50). Logo dumha conversa que tivem esta semana com um fotógrafo (Rubém Pérez Novo) decidim começar a usar o flash para resaltar os objectos. Ademais de eliminar esas molestas sombras, com esta técnica o fondo quedará mais escuro e verá-se menos, que é do que se trata. Nom é como um flash externo desde logo, pero coido que chega de sobras para mim.

Erica cinerea (drta. foto com flash)

  Estou moi contento logo desta primeira experiência co flash.
 Seguimos aprendendo e desfrutando coa fotografia da Natureza. Nom canso de agradecer todas e cada umha das explicaçoes que me estades a dar os colegas fotógrafos (Fran Nieto, Alejandro Martínez, Álvaro Fdz. Polo, Fernando Pereiras, Rubén Pérez, etc) especialmente os compañeiros do choio, aos que "acribilho" todas as semanas com perguntas. Um milhom!!

No hay comentarios:

Publicar un comentario