Seguidores e seguidoras

viernes, 11 de marzo de 2016

Visita de control ao sistema dunar

ESCURIDADE

  Esta manhá figem umha visita de control às charcas do sistema dunar da Frouxeira, Valdovinho. Básicamente para mirar se havia algumha postura de Sapo corriqueiro (Bufo calamita), un anuro que está em severo declive na zona. Os rastros do Javali (Sus scrofa) som abondossísimos em todas as zonas de cria e penso que é a causa principal desta alarmante diminuçom (Rafa Vázquez, un herpetólogo extraordinariamente experimentado, comentava-me que nom fóra quem de o atopar em umha recente visita à zona)


 "Charca dos corredores"

  Desde logo eu hai vinte anos que nom vejo um Sapo corredor em Valdovinho e únicamente sei que segue presente graças à observaçom das suas postas e cucharóns, moi escasos últimamente (tampouco fago prospecçons noturnas, olho).

Sapo corredor (Bufo calamita)
Exemplar fotografado no Forgoselo

   Tamém passei pola "Charca das dunas", a mais fonda de todas e cumha fauna aquática mais rica.

 "Charca das dunas"

  Aínda é cedo e nota-se, pois a penas havia actividade nesas horas da manhá.


   Digo "a penas" porque os de sempre nunca deixam a sua actividade, seja dia laboral, festivo, faga sol ou chova a chuços. O primeiro contacto visual foi às 9,30 h, um impresionante Mastim completamente solto na praia. Pouco depois tinha outro contacto coa peste, neste caso passeando polas dunas móveis, espaço "protegido" com cinco figuras de protecçom figurada em sentido figurado (entenda-se a figura literária).

Peste comum

LUZ

  Imos com o bom. A ponto de se iniciar a tempada de cria das aves cómpre adestrar o ouvido cara às inminentes saídas para o Atlas de Nidificantes no que colaboro.

 Azulenta comum (Prunella modularis)

 Escribenta das canaveiras (Emberiza schoeniclus)
 
  As que nunca faltan tampouco no sistema dunar som as escandalossas Choias, que aninham nos acantilados próximos. Um ave moi doada de ver aqui.

 Choia de bico vermelho (Phyrrocorax phyrrocorax)

  Umha parelha de Tordos charlos fugírom aginha do fotógrafo. Som aves extraordinariamente tímidas os charlos mas confio em poder confirmar a sua nidificaçom na Frouxeira este ano, algo que acredito moi provável desde há anos mas nunca dei confirmado.

 Tordo charlo (Turdus viscivorus)

 E despido-me com úm dos parrulos que este inverno foi protagonista para os observadores. Hoje estava algo mais perto do habitual e puidem afotá-lo melhor.




Pato bastardo (Aythya marila), fémea

Coma sempre, Valdovinho oferece umha de cal e umha de area. 
E desgraçadamente cada ano hai mais cal.

No hay comentarios:

Publicar un comentario